PhoneMyBot: dando voz à Inteligência Artificial Generativa

Escrito por Livio Pugliese

06 / 04 / 23

Falar com o ChatGPT pelo telefone é uma ótima experiência. Mas como aumentar ainda mais o seu valor?  

Entre os profissionais de software, não se falou em outra coisa nestes últimos tempos: ChatGPT. É o primeiro chatbot baseado em um grande modelo de linguagem a causar impacto, e que impacto! Veio com a energia do asteroide Chicxulub, aquele que exterminou os dinossauros há 65 milhões de anos ao atingir a costa de Yucatán. Além de causar um inverno global por muitos anos, o asteroide criou um maremoto com ondas de um quilômetro de altura, pouco menores do que as que o ChatGPT gerou agora. Mas talvez não seja o caso de insistir nesta metáfora: será possível que o ChatGPT e os seus seguidores matem… a nós, os seus criadores? Sou otimista e digo que não, mas lendo os jornais não se tem tanta certeza…

 Em todos os casos, depois de usar o ChatGPT para escrever poemas sobre pickleball ou ensaios sobre literatura tibetana, a comunidade de tecnologia está tentando entender o que a ferramenta pode realmente fazer para os negócios reais.

Nós, da Interactive Media, integramos o ChatGPT com o PhoneMyBot, nosso serviço para fornecer canais de voz para chatbots, com uma abordagem sem código e pronta para uso. Utilizando o PhoneMyBot já é possível fazer uma chamada telefônica para o ChatGPT, fazer perguntas e ouvir as suas respostas. No processo, desenvolvemos algumas ideias sobre se e como o ChatGPT pode funcionar para o que normalmente fazemos, que é o fornecimento de soluções para que as empresas atendam e interajam com seus clientes. 

Esclareçamos desde já: sem customizações, o ChatGPT não é suficiente para implementar um bot de voz de atendimento ao cliente. Sua base de conhecimento é muito ampla: é, literalmente, toda a Internet. Isso significa que o ChatGPT não pode usar seu modelo de linguagem normal para responder a perguntas pontuais cujas respostas não estão na internet, como, por exemplo, seu saldo bancário de hoje.

É verdade que, em alguns momentos, existe a necessidade de responder a perguntas genéricas no atendimento ao cliente. Em nossa experiência, os usuários, às vezes, fazem perguntas absolutamente aleatórias aos bots, como por exemplo:  “Onde você mora?”, “Quantos anos você tem?”, “Eu posso ver você?”, “Quanto você ganha?”. O ChatGPT certamente teria ótimas respostas para essas perguntas (provavelmente nunca a mesma resposta duas vezes seguidas), o que seria muito útil em conversas casuais. Além disso, o chatGPT também funciona independentemente do idioma usado. Na verdade, a ferramenta consegue identificar em qual idioma um usuário está falando e responder no mesmo idioma. Esse recurso é incrível e torna seu uso muito mais fácil.

 Em um cenário voltado para negócios e experiência do cliente, é possível “afinar” o ChatGPT para domínios específicos, adicionando dezenas, centenas ou milhares de exemplos de pares de prompt e respostas especializados que definem um domínio separado, identificado pelo seu próprio nome e ID. Esse domínio complementa o modelo de propósito geral e permite que o chatbot responda a perguntas direcionadas especificamente para um determinado contexto. Na Interactive Media, fizemos o ajuste fino de um dos modelos de propósito geral disponíveis e podemos atestar que ele funciona: se o ChatGPT tiver as informações necessárias, ele não só responde a perguntas específicas sobre o domínio determinado de forma eficaz, mas também de maneira agradável e precisa.

Frequentemente, no entanto, as perguntas dos clientes podem ser ambíguas e difíceis de caracterizar. Nesse caso, o ChatGPT não pode ser autorizado a responder imediatamente, pois sua resposta seria vaga ou incorreta. Nesse contexto, a plataforma de IA conversacional da Interactive Media, MIND, colocada à frente do ChatGPT, pode ser facilmente configurada para lidar com esses casos. O MIND identifica a verdadeira intenção do interlocutor por meio de um diálogo inicial e, somente após isso, encaminha a “verdadeira” pergunta para o ChatGPT. Isso faz uma grande diferença no resultado da interação.

Porém, existe um outro obstáculo a ser superado, pois, para ser útil, é necessário acessar dados reais relacionados às solicitações das pessoas. O ChatGPT, é claro, não realiza as consultas apropriadas aos bancos de dados corporativos ou CRMs das empresas. Na Interactive Media temos um alto expertise nesse assunto e desenvolvemos um método generalizado para acessar as informações de bancos de dados e inseri-las nas respostas do ChatGPT. Naturalmente, dependendo dos dados, isso deve ser feito caso a caso e com base no projeto específico, então entre em contato conosco para conversarmos a respeito!

Você pode testar a integração do PhoneMyBot com o ChatGPT agora mesmo. Entre em contato com a Interactive Media ou clique no botão abaixo: 

Outros artigos

Outros artigos

Introdução aos voicebots e sua evolução

Introdução aos voicebots e sua evolução

Introdução aos voicebots e sua evolução Voicebots, ou assistentes virtuais ativados por voz, tornaram-se uma presença cada vez mais comum em nossa vida diária. Eles respondem a perguntas, facilitam tarefas, e estão revolucionando a maneira como interagimos com a...

ler mais